segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Quero - não quero

Como escapar de uma paixão?
Mutilando ele?
Afogando?
Sei lá
Qualquer coisa que não me faça ficar assim
Neste quero - não quero.
Tento ser forte
Mas não resisto
Fico louca
Parece que não tenho razão
Falo ao coração:"Dá uma trégua"
Mas é uma criança
Me desobedece.
Queria está imune
E não acordar as minhas lágrimas
Para este sentimento
Que corta e mata
Quando tudo dá errado
Que dá luz e vigora
Quando te tenho ao lado.
Quão rebelde é essa vontade
De te ter no meu colo
Preciso resistir, no entanto
Não sou de pedra
Mas posso ser forte
Não posso dar vazão ao meu desejo
A não ser que o juiz bata o martelo
E a razão venha a fazer as pazes com a emoção.

Laís Correia
16/01/2012


2 comentários:

  1. Escrives bem.Conta verdades de muita gente por aí.Lindo!Lembrar...

    ResponderExcluir
  2. Laís, lindíssimo!!!

    ResponderExcluir